Mês: dezembro 2009

Adeus 2009!

A manhã de hoje dia 31/12/2009 se foi e com ela todo o ano de 2009. Alegrias, tristezas fracassos, sucessos tudo e tudo mesmo agora faz parte de meu passado de minha história. A vida nos ensina tal como os livros, lições para nosso crescimento moral e aprendizado.

Eu particularmente prefiro os livros e meus escritos. Neles meus erros fracassos ou equívocos são facilmente resolvidos com um simples comando “deletar”do meu computador. A vida ao contrário nos impõe um deletar muito mais rigoroso. Não basta apenas o comando apagar. As marcas talhadas em nossa história não saem e mesmo enclausuradas em nossos pensamentos e em nossas almas permanecem a nos visitar e cumprimentar ou a nos assombrar.

O ano de 2009 passou! Com ele renovam-se as oportunidades de fazermos de nós mesmo pessoas melhores. Sem falsas promessas, sem planos mirabolantes, nada de grandes sonhos ou desejos. Em 2010 não farei promessas, não sonharei demais e não pensarei que tudo será diferente. Nada de supertições tolas, nada de roupas brancas, banho de chuva, velas ou simpatias. Neste novo ano entrarei com as ideias novas, com a conduta nova. Em 2010 chegarei mais EU, com sorte ou com azar, nada importa, só a certeza de que serei eu mesmo, sem truques, sem fantasias, puramente EU.

Aos poucos, mas seletos leitores deste blog, desejo que em 2010 vocês sejam nada demais, apenas vocês mesmos! Deliciem-se com o prazer da sua própria companhia! Feliz 2010!!!

Anúncios

Eu: O tenso!

Já fui preocupado demais com aquilo que as pessoas diziam ou pensavam de mim, hoje porém aprendi a relaxar comigo mesmo e a não esperar tanto de mim mesmo. Tenho necessidade quase de sobrevivência de, em certos momentos, ficar sozinho. Refletir, escutar música, rever páginas escritas sem terminar ou terminadas, fazer nada, ler livros com temas aleatórios e todo outro tipo de coisa que fazemos quando estamos a sós.

Hoje, porém penso e sinto que as oportunidades para ficar a sós tem se tornado cada vez mais escassas. Não raro fico ocupado com alguém ou com alguma coisa que quando termino sinto como se minha energia tivesse se esvaído por completo. É então que faço a única coisa que me resta quando a energia me abandona. Eu durmo…

Não consigo pensar que poderia dormir menos e que meu sono tem se transformado em uma enorme perda de tempo. Durmo, não tenho insônias, pelo contrário. Às vezes penso que poderia dormir por décadas sem que para tanto precisasse fazer o menor esforço. Injusto? Penso que seja, mas mesmo nos momentos que mais sinto falta de minha própria companhia, não consigo deixar de dormir. Isso sem falar naqueles dias em que quero somente me recolher em mim, mas como de assalto sou forçosamente tomado por telefonemas inoportunos, chamadas a conversas pelos habitantes da casa, trabalho extra e uma outra infinidade de afazeres.

Agora mesmo escrevendo o post, já perdi a conta de quantas vezes solicitaram minha atenção. Contornando os chamados com jeitinho vou escapando das sanguessugas e num raro momento alcanço o que tanto queria: a solidão. Não pensem que sou daqueles que se isolam do mundo em sua paranóia, não desejando estar com alguém, pelo contrário…

Adoro minha noiva, adoro meus pais, colegas de trabalho, parentes, amigos virtuais ou de carne e osso e estou sendo muito sincero nesse ponto: adoro todos. Mas quem nunca sentiu a necessidade de se recolher aos seus pensamentos e emoções somente?

Ao final desta noite, certamente já estarei cansado de mim. Passarei então por um sono até agradável e amanhã pensarei novamente que meu sono é uma perda de tempo e que preciso de mais tempo sozinho. Ao leitor do blog deixo, pois um consolo. Não há possibilidades de repedir o post. Afinal apesar de repetitivo, meus dias são sempre novos dias e meus pensamentos são invariavelmente mutantes.

2010

Queria acreditar que em 2010 tudo será diferente.

Queria acreditar que o mundo mudará

Mudança, eis a palavra

Muito dita pouco entendida

Muito escrita pouco lida

Mudança que a sós

Por vezes é boa

Sempre é ruim

Em 2010 a mudança será minha mudança

E será boa?

Vou estressar, mas não vou morrer

Vou resistir e no fim, serei eu

Minha mudança ao contrário de mim não terá fim

Minha mudança será para melhor

Melhor tudo, trabalho, família, amigos, inimigos….

Minha mudança caso não baste para mudar o mundo

Que baste para mudar a mim e meu mundo

E 2011…

Relatório Focus

Há tempos venho consumindo as informações do relatório Focus publicado semanalmente pelo Banco Central do Brasil com base em uma pesquisa junto aos principais atores do mercado financeiro brasileiro e do exterior.

É importante relatar, porém que, apesar de congregar as impressões dos principais agentes do mercado, com anos de experiência em análise econômica, os dados publicados não passam de uma mera média das impressões dos analistas e suas instituições. Não é o objetivo aqui questionar a relevância e nem a importância do relatório, mas sim o culto cego que os demais agentes, mídias e até empresas celebram a cada semana após a publicação dos dados contidos no relatório.

É sempre bom lembrar que os dados publicados no Relatório Focus são constituídos de impressões particulares e muitas vezes pessoais. Não esqueçamos também que os dados publicados utilizam uma ferramenta estatística que não raro causa distorções: a Média.

Assim antes de assumir como verdade os dados do Relatório Focus ou de qualquer outra publicação, vale uma revisão crítica e pessoal, além é claro da torcida para que as impressões estejam corretas.

A favor do Focus temos que: se os especialistas miram em determinada expectativa é melhor as vezes seguir o efeito manada, pois afinal os agente tem acesso a informações que a grande maioria dos investidores pequenos com eu não possui. Sendo assim, não se preocupe na média você acabará acertando.

Livros: A revanche

Não é que os livros foram os grandes recordistas de vendas no natal deste ano? Pois é dados revelam que as vendas cresceram mais de 20% em dezembro em comparação com o ano anterior (2008).

Até ai tudo bem e venda não quer dizer nada temos mesmo é que torcer para que aqueles que tenham recebido livros de presente, mudem seus hábitos e leiam, usem e abusem dos títulos que receberam. A esperança é e será sempre a última que morre e tendo em vista a atual situação brasileira no que tange aos hábitos de leitura a situação, mesmo com o recorde de crescimento nas vendas, não deixa de preocupar.

Dados mostram que os franceses leem em média 16 a 18 livros por ano em média. Já nós aqui no Brasil amargamos a marca no mínimo vergonhosa de apenas 2 livros ao ano em média. Até então tudo certo sabemos que a venda de livros vem crescendo a cada ano, mas imaginem só como pessoas mentem e pesquisas… Agora imaginem que nossa média pode ainda ser menor. Com crescimento de 20% sobre dois livros teremos nossa média crescendo para impressionantes 2,4 livros em média ao ano…

Nesse ritmo de crescimento alcançaremos os franceses em mais ou menos 12 anos. Até lá quem sabe as pessoas sejam mais honestas nas pesquisas ou quem sabe consigamos pelo menos nos alfabetizar mais e melhor por aqui?