Mês: janeiro 2010

Envelhecendo…

Não raro quando estou escrevendo, sou surpreendido por lembranças e pensamentos incessantes. Igualmente incessantes são as conversas que travo com os mais diferentes tipos de interlocutores, leitores ou não de meus textos. O fato é que venho ao longo dos anos conversando e com eles aprendendo, através de discussões e trocas de experiências das mais variadas. É interessante o quão enriquecedor e dinâmico pode ser uma simples troca de mensagens eletrônicas e o quanto podemos evoluir intelectual, emocional e profissionalmente com elas. O que passo a escrever a partir deste ponto, diz respeito à amizade.

Nascido em cidade do Estado de Minas Gerais aos idos dos anos 80, estudou todo o primeiro e segundo graus em escola particular. Contraiu amizades com laços fortíssimos durante os anos, mas tal como a própria vida, elas foram esmaecendo com o passar dos anos. O trabalho consumira todo seu tempo livre e mais uma boa parcela do tempo destinado ao lazer, namoro e ao descanso. De forma semelhante a um apagão, a rede que os unira seria desconectada, mas não para sempre. Perdido na imensidão de seus sonhos e ambições ambos apagaram-se, trancando na escuridão anos de relacionamento intenso e sincero. A vida de cada um deles continuou e com o passar dos anos, os amigos permitiam-se relembrar os velhos tempos em encontros esporádicos. Foram alguns encontros e apesar da satisfação em rever aquela pessoa tão querida, algo parecia diferente. Contrariamente ao experimentado por ambos durantes anos, a conexão parecia não ser mais a mesma.

Mais alguns anos se passaram e o que de início pareceu somente estranho, agora tomara intensidade ainda maior. Cessaram-se os encontros, acabaram as trocas de telefonemas e e-mails não mais eram enviados. Restaram somente boas lembranças. Dizem por ai que amizade verdadeira nunca se acaba e que pessoas realmente amigas estarão conectadas para sempre. Pois bem, a conexão seria refeita anos mais tarde e por um motivo tão trivial e casual que surpreendera a ambos. Um simples parabéns! A data do aniversário chegara, os compromissos do dia-a-dia e a agenda lotada impediram o tradicional retiro ao lar. As ligações foram acontecendo e muitas delas sendo perdidas. Ao final do dia, porém ao iniciar o ritual de acompanhamento das mensagens e recados virtuais deparou-se com uma mensagem especial. A conexão estaria refeita? Freneticamente iniciaram um ciclo de comunicação e então trocaram mensagens e por um instante em anos, reviveram aqueles tempos maravilhosos, onde tinham um ao outro. Trocaram expressões particulares, conversaram de forma tão intensa que puderam sentir a quilômetros de distância os abraços apertados e os beijos carinhosos um do outro.

Por um instante, único em anos, ambos puderam voltar no tempo. Não estavam mais, longe um do outro. O individualismo, as ambições e o cansaço sumiriam de forma tão imperceptível que só viriam a perceber horas depois. Conforme uma verdadeira máquina do tempo eles puderam regressar à melhor época de suas vidas. As amizades verdadeiras são assim, nunca morrem apenas ficam indisponíveis às vezes. Quantos momentos felizes, amizades sinceras são capazes de nos proporcionar? Amar, não exclusivamente a pessoa escolhida para compartilhar a vida e constituir família, mas sim a todas aquelas pessoas verdadeiramente amigas é mais uma garantia de que estamos realmente vivendo. Afinal quem mais poderá nos salvar do esquecimento? Quem mais terá condições de realçar nossos grandes feitos pela vida, mesmo que aos olhos do mundo eles possam parecer insignificantes e tolos? Quanto mais envelhecemos mais indispensáveis tornam-se os amigos. Quem mais estará habilitado a aturar nossas manias, nossos vícios e tantos outros defeitos?

Quanto tempo demorará para descobrir o quão nossos amigos são importantes? Quanto tempo demorará para dizer que os amamos sem medo de parecermos piegas? Esta semana recebi um e-mail. Esta semana fiquei mais velho. Esta semana vivi novamente os anos dourados de minha infância e adolescência, salvos nas memórias de meus amigos. Esta semana lembrei-me de dizer aos meus amigos que os amo.

Anúncios

Você assim

Perplexo

Hesitante

Espantado

Atônito

Acordei hoje

Fui rapidamente consumido por sentimentos estranhos à minha alma

Pesado levantara indisposto

Como um prenúncio do mal, meu corpo, minha mente e minha alma… Dor

No início pensei… Estranho

No meio… Coincidência? Mas o fim….

Chegara, sem cerimônia, sem vergonha e se mostrando

Seu rosto azul e branco, sua luz intensa

Todo disfarce, todo falsidade… Maldade

Era ele! Sim era ele…

Voltara…

Mas até quando?

Até quando não importa mais

Agora só importa como agir para sobreviver a você

Você chegou e tudo mudou

Seu rosto belo e sereno e sua voz dissimulada não enganam a todos

Seu passado por aqui… Marcas

Profundas…

Marcas…

Minhas marcas não cicatrizaram, mas isso não importa mais

Agora só importa como agir para sobreviver a você

Você voltou e tudo mudou

Você assim…

Sobre filmes e cinema

O filme Avatar do diretor James Cameron impressiona. Com efeitos visuais impressionantes, fotografia impecável e cenas não menos primorosas e eletrizantes o filme foi uma grata surpresa para mim. Confesso que quando convidado a assistir ao filme no final de semana que passou, não senti aquele entusiasmo inicial.

Para piorar as coisas fui alertado de última hora que a cópia que veríamos seria dublada e então daí para frente as coisas pioraram bastante, pois afinal filme por melhor que seja, quando é dublado eu simplesmente não suporto! Passado o trauma da cópia dublada, relaxei comprei muita comida para me distrair e acalmar e fui para o cinema.

Após sentar, assistir aos trailers as percebi que minha sorte estava em alta. Os ingressos para as cópias dubladas acabaram, devido ao grande volume de crianças nas salas. Sorte mesmo! Iniciado o filme fui tomado praticamente de assalto.

Excelente história, roteiro sublime e mensagem passada sobre questão ambiental digno de apresentação nos mais renomados fóruns sobre o tema. O tema e o roteiro foram brindados com cenários esplêndidos, animações espetaculares e por incríveis atuações de protagonistas e demais partícipes do elenco.

Enfim tudo certo com filme valeu o ingresso, vale principalmente pela reflexão que o tema proporciona. Quem ainda não viu corra para o cinema e não se contentem em assistir em casa a menos que já tenha recebido de presente uma TV gigante e Full HD e um excelente leitor de Blue Ray.

Estou lendo!

Impressionante o livro de leitura fácil e objetiva sem muitas voltas. A autora Ana Beatriz Barbosa Silva vasculha a mente e analisa a psicopatia de uma maneira bem simples, porém nada simplória. Com descrições e estudos de casos a Autora nos revela traços e comportamentos de psicopatas de forma surpreendente. A surpresa ao ler o livro ficou por conta da identificação de vários comportamentos facilmente vinculáveis a pessoas muito próximas a mim.

Como um guia reservei espaço cativo em minha teia de conhecimentos para que quando precise possa consultar as informações, evitando tornar-me mais uma vítma dos psicopatas.

PlanetaTruth X Planeta Blog

Ano novo? A partir de agora o ano já começa a ficar velho e com uma rapidez que assusta e inibe. Após as comemorações de fim de ano voltamos a nossa rotina habitual recolhendo os restos das emoções boas e ruins. Apavorado e com uma sensação de tédio tremenda inicio mais um dia comum e por que não sem graça.

Hás tempos escrever vem se tornando mais que um prazer, transmutando-se em uma necessidade à minha sobrevivência mental e psicológica. Atormentado com demônios dos mais diversos tipos, encontro paz e tranquilidade aqui neste blog que dentre idas e vindas vem transformando-se num mundo em que vivo mais intensamente o Eu.  Seja ele tenso ou não, o que importa é que no Planeta Blog, conhecidos parasitas, ogros e demônios de outros mundos encontram as condições para sua sobrevivência e então aqui salvo-me, abasteço-me com energia mental e espiritual para a jornada diária no Planeta Truth.

Por vezes considero-me  como um pessimista ou ainda como realista extremo. Penso, desconfio e, portanto considero-me Tenso. Em dias como o de hoje em que momentos extremamente prazerosos na companhia de amigos e do grande amor de vida se passaram e estão muito longe se repetirem sofro como que acometido por um grande AFK. Mais uma vez entregue aos Ogros parasitas do planeta Terra, tento relaxar, mas temo ser esta uma tarefa utópica demais.

Publicando posts aqui no Planeta Blog, amenizo ou pelo menos desabafo um pouco, mesmo que subjetivamente e retomo ao equilíbrio para enfrentar mais um dia a batalha insana contra os Ogros parasitas do Planeta Truth. O desafio é grande e digno de Titans. Ao fim espero por pelo menos mais um dia sobreviver. Não espero, porém sair ileso da batalha, longe disso!

Feridas profundas acabam por espalhar-se por minha alma que cansada a batalha parece me abandonar a cada noite, fugindo para onde haja paz e luz suficiente para me recarregar. É então que acordo assustado, renovado e me vejo em questão de instantes me preparando para mais uma viagem ao Planeta Truth.

Saudades da casa de meu Avô

Só depois de amanhã vou pensar que não há problemas em minha vida

Que não há dificuldades em meu trabalho

Que realizarei todos meus sonhos

Que conquistarei o equilíbrio e a serenidade necessária para ser feliz

Só depois de amanhã!!!

Serei Feliz?

Amanhã passarei o dia pensando que depois de amanhã será Sábado!

Sábado vou refletir, sobre depois de amanhã!

Depois de amanhã, então, já será segunda!

Ah!!! Realidade massante!

Quisera Eu vagar errante

Penso quanto mundo ainda tenho a conhecer

Quantos conhecimentos tenho a aprender

Ah!!! Tempo que passa sem trégua

Tenho saudades da casa de meu avô

Lá depois de amanhã era sempre sábado

Lá não pensávamos em depois de amanhã

Na casa de meu avô, o tempo fora meu amigo

E meu amigo verdadeiro passava tempo comigo

Hoje o amigo verdadeiro se fora

Amanhã brigarei com o tempo

E depois de amanhã…

Tenho saudades da casa de meu avô

Lá depois de amanhã sempre parecia sábado

Lá o tempo fora meu amigo

Aqui passo os dias brigando com o tempo

Hoje não mais, tenho perto o melhor amigo

Hoje Estou diferente!

Tenho saudades da casa de meu avô.

Fale comigo

Sou uma pessoa muito inquieta com tudo. Trabalho, relacionamentos, amizades, lazer… Tudo mesmo. Não consigo por mais que tente, me livrar dessa característica que parece ter nascido em mim. Mas agora, ao menos por agora, não quero mais falar de mim. As comemorações do ano novo consumiram minhas forças de tal maneira que nem mesmo a solidão me fará pensar ou escrever sobre mim.

Há tempos me incomodo com algo sobre as pessoas e seus relacionamentos. Pessoas nunca estão livres de brigas, por mais gentis, educadas e respeitosas que sejam não conseguem evitar conflitos e sinceramente, acredito que conflitos fazem parte de trajetória natural pela qual todos os relacionamentos passam. Não importa se são amorosos, de amizade, familiares profissionais ou qualquer outro tipo de relacionamento, todos sofrerão, uns com mais outros com menos intensidade é claro, mas sem exceções todos sofrerão conflitos.

Motivos não faltam para conflitos e mesmo que a primeira vista possam nos parecer tolos, se vasculharmos bem tenho certeza de que encontraremos algo mais grave ou importante nos motivos. É certo que relacionamentos ao longo de nossa existência passarão por inúmeros conflitos, e acredito em minha humilde interpretação que não há como os evitar. Não acredito também que possamos evitar ou prevenir as causas dos conflitos e nem mesmo penso que deveríamos. Para aqueles que mantém a calma e a racionalidade, conflitos muitas vezes acabam por caracterizar-se como uma oportunidade ímpar para repensar sobre algo e crescer com a experiência.

O importante não é se temos conflitos ou como os evitamos, mas sim a forma como aprendemos e evoluímos com eles. Já fui acometido certa vez por uma ideia que momentaneamente me pareceu excelente. Para minimizar os efeitos deletérios de meus conflitos, certa feita quando tive problemas com um familiar, pensei que evitar a pessoa não conversar, cumprimentar ou mesmo reparar na presença dela resolveria. Engano meu. A ausência de diálogo fez com que nos tornássemos estranhos. Tal como acontece com estranhos, ficamos sem o menor laço afetivo e com o passar do tempo nós  não mais reconhecíamos um ao outro.

Hoje tento a tento a todo custo retomar o que havia entre nós. Sem a facilidade do laço antigo que não mais existe, a missão tornou-se ainda mais desgastante e dolorosa. Hoje felizmente já nos cumprimentamos e por incrível que possa parecer flashes de nosso relacionamento do passado vem a mim espontaneamente e de uma maneira muito particular, nem mesmo nossas brigas parecem tão ruins quanto a sensação de ter perdido os laços que havia entre nós.

Hoje nem mesmo me lembro quando decidi parar de conversar e de me relacionar com a pessoa, mas sei que por mais grave possa ter parecido ser na época, sem dúvida alguma não foi mais doloroso que ter ficado todo esse tempo sem sua companhia. Hoje sinto mais sua falta que raiva de você. Hoje estarei com você e hoje não só a cumprimentarei hoje lhe abraçarei num gesto até infantil e quando a tomar nos braços, como num passe mágico tudo estará resolvido, tudo voltará a ser como antes. Hoje nós seremos o novo, mas com marcas antigas. Hoje nossa história reinicia em conjunto. Hoje somos ontem, mas um ontem melhor e isso é só o começo. O começo de nosso ano não será apenas desse ano.

Então feliz “anos novos”.