Montanha Russa

 

Sentado penso, reflito e pontuo sobre aquilo que realmente importa na vida, tentando planejar o cumprimento de muitas promessas perdidas no tempo e na arrogância de fugir de tudo que possa me tornar mais humano. Mais humano! Sinto às vezes ter perdido muitas chances de ser mais agradável, de ajudar e de expressar mais meus sentimentos pelos outros. Sinto às vezes um aperto que sufoca, roubando de mim as palavras e cegando meus olhos. É então que tomado de aflição venho aqui, nesse planeta particular hospedado na galáxia da internet e simplesmente escrevo.

Sentimentos, desconhecidos de mim mesmo e cuidadosamente escondidos dos outros, afloram intensamente e cambaleante torno-me um ébrio a descobrir emoções tal como se descobre as curvas, os giros e todos os loopings de montanhas russas em parques de diversão. A descida então acontece por vezes aos solavancos perdendo o trilho da emoção e ao ir de encontro em alta velocidade descendo do alto de tudo aquilo que me tornei até agora, lanço-me sem medo e sem vergonha, solto os braços e abro bem os olhos durante todo o percurso.

E assim após alguns poucos minutos e completado o percurso com seus altos e baixos, suas curvas fortemente anguladas e seus loopings surpreendentes revisito-me. Nesse mundo ao qual a ninguém é permitido visita é onde verdadeiramente resido. É aqui onde me encontro nu, despido do teatro, despido da coragem e da força. É aqui onde realmente vivo e quando revisito esse pequeno mundo particular, mesmo que pelo tempo de um tolo passeio numa montanha russa emocional ou pela duração de cada parágrafo que escrevo, é daqui que retiro forças para seguir em frente.

Tropeçando, caindo, levantando, andando ou correndo, não importa! Importa é ter entrado e saído. Importa saber que ao fim do passeio permaneço ali exatamente como sou: erros e acertos, sucessos e fracassos, amores e ódios, amigos e inimigos. É sim esse ai sou eu tentando ser mais humano, tentando ser melhor e no fim conseguindo ser apenas Eu!

Anúncios

4 comentários

  1. Opa! Gostei muito do seu post! Falou minha língua! rs
    Acho que essa será sempre nossa busca, ser mais humano, e isso ao mesmo tempo é um paradoxo. Quando não somos humanos? O que nos leva a esse desejo pelo mais humano? É difícil entender. Mas acho que vale a discussão. Rs

    1. O paradoxo é muito presente e é onde reside nosso verdadeiro Eu ao qual poucos conhecem por completo e aqueles que acreditam conhecer nem de longe nos entende na totalidade. É assim que somos realmente um magnífico ponto de interrogação.

  2. Uau, essa descrição saiu ai do fundo! Sinto-me assim como você, e como tantos outros. Envolvi-me por completo na sua leitura, até dá para fazer pausas entre o texto e reflectir. E sim o que realmente importa na vida é os momentos divertidos, e relembrar deles quando andamos mais em baixo, talvez vendo um velho álbum de fotos ajude aquando alguns pensamentos ruins persistem. Ainda bem que há pessoas como tu que partilham sentimentos dessa forma magnífica, fizeste-me sentir que não sou o único assim. É pena que ainda haja muita gente fria, o que tende até a empobrecer a própria qualidade de vida.

    1. Olá Sergio,

      Que bom ter você de volta aqui no blog, seus comentários incentivam muito continuar a escrever e por vezes acredito que Elsa são generosos demais, mas não há como esconder minha satisfação ao ler seus elogios.

      A semana será corrida aqui, pois estou viajando a trabalho, mas em breve postarei novos artigos aqui no blog.

      Muito obrigado novamente pelo comentário e até a próxima!!!

Participe! Entre na conversa! Comente aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s