Mês: maio 2012

Óbvio!

Mais uma vez ele começaria outro texto. Levado quase inconscientemente tomaria em mãos seu notebook, abriria sem pestanejar o editor de texto e como viajante errante iniciaria a viagem rumo ao desconhecido. Despretensioso e inquieto demais, levaria seus dedos a percorrer novamente a as trilhas do teclado, sem rumo definido, sem velocidade controlada num descontrole completo sobre a situação.

Normalmente seguindo a rotina, abriria sua caixa mental de assuntos e ideias sobre posts, leria e pesquisaria algumas referências, faria rascunhos inúmeros e recortes de trechos soltos de texto enquanto entre uma e outra frase, interagia com uma dezena de pessoas, em outra dezena de redes sociais que nos últimos meses tornaram-se quase uma obsessão.

Foi então que revirando compartilhamentos dos mais diversos, encontrou aquilo que procurava. Lá estava ela: linda e a sua espera. Quem era ela? Como ficara ali guardada por tanto tempo? O post estava finalmente definido e naturalmente pôs-se a escrever.

Não raro fora questionado do motivo pelo qual não falara de sua amada nos posts. É verdade! Sempre esguio, encontrava forma de fugir do assunto, desviar o caminho até ficar livre das cobranças. Não que ficasse chateado com cobranças, mas no fundo tinha medo e então, covarde, fugia, fingia e evitava reconhecer o óbvio. Sempre fora imaturo em seus relacionamentos afetivos e temendo ser visto como fraco por anos reprimira seus sentimentos fechando-se numa carapaça abrutalhada e carrancuda, acreditando ser esse o caminho para firmar-se como homem.

Os anos passaram e com eles a maturidade afetiva foi florescendo bem aos poucos. O medo transformava-se aos poucos, é verdade, mas aos poucos foi sendo superado dando espaço aos seus sentimentos mais reprimidos. O tempo e paciência dedicados pela companheira foram transformando o solo, antes infértil. O amor entre eles, agora casados, firmara-se ainda mais e eis que num dia aparentemente comum…

Lá estava ela linda a sua espera. A ideia, o post, o reconhecimento, a humildade, o amor. Isso tudo para apenas para encontrar forma de lhe dizer que você está em tudo que sou, em tudo que escrevo, em tudo que desejo. Não procures o óbvio em minhas palavras ou em minhas atitudes. Saiba que nesses 12 anos em que estamos juntos, nem mesmo por uma milésima fração de um único segundo deixo de pensar e de carregar você comigo. Você, meu amor, está em tudo que faço em tudo que sou! Eu te amo! Óbvio!

Anúncios