Acordando no passado

the-past-otenso

Naquele dia acordou tarde, não porque podia, mas havia sem querer perdido a hora. Num súbito olhou para o relógio, viu as horas e saltou apressado da cama. Foi até o banheiro escovou os dentes e sentiu sua boca com gosto amargo de uma noite de sono mal dormida. Lavou o rosto e ao se olhar no espelho sentiu o peso de seus 38 anos, pouca idade para alguns, mas não para ele.

Foi lembrando devagar tudo que tinha que fazer, afinal era véspera de natal e não podia esquecer de nada. Foi então que após se vestir para sair às compras, decidiu fazer uma lista de tudo que tinha a fazer naquela manhã que na verdade á estava bem próxima do fim. Ao terminar a lista sentiu um frio na barriga e pensou que não daria tempo para resolver tudo a tempo para o natal.

Demorou a encontrar as chaves do carro e achou muito estranho não se lembrar de nada do dia anterior. Ao encontrar as chaves caminhou até o carro, um modelo popular simples, não dava valor a automóveis. Entrou no carro ligou o radio como de costume, manobrou para sair da garagem e num milésimo de segundo parou e ficou novamente perplexo.

Olhou para as casas da vizinhança e não viu nenhuma decoração de natal. O dia estava claro, mas sem sol e estranhou isso também, afinal morava em Tiradentes, uma cidade pequena, histórica e muito charmosa no Estado de Minas Gerais – Brasil.

Nunca foi paranoico e por esse motivo, deixou de observar as coisas ao seu redor com muito detalhe e dirigiu até o centro da cidade apressado. Parou o carro facilmente e isso para uma véspera de natal era sorte demais. Novamente ficou intrigado. Olhou ao redor após parar o carro e não viu o movimento insano de compras do natal.

Refletiu e sentiu-se como sendo o único morador a fazer as coisas de última hora. Prometeu internamente melhorar isso e entrou na loja de chocolates para escolher alguns presentes. A loja estava vazia, apenas o atendente o habita seu interior. Procurou na loja toda e não viu nenhum item com tema natalino, estranhou muito, pensou já ter acabado o estoque, mas mesmo descrente abordou o vendedor.

–  Onde estão os chocolates com decoração e temas natalinos? Preciso de caixas decoradas também, você tem ainda certo?

Sem entender nada o atendente, fez cara de indiferença, pensando estar sendo vítima de uma brincadeira sem graça, mas então respondeu ao visitante com outra pergunta.

–  Olha Senhor, não acha que está um pouco cedo para comprar seus presentes de natal?

Martim não compreendendo a profundidade da responsta do atendente retrucou.

–  Cedo? Dormi demais perdia a hora e aqui estou com pouco tempo, pois vou passar o natal na capital e a estou com medo de engarrafamentos. Ande logo diga se tem ou não produtos de natal! Estou com pressa!

–  O Atendente então já entediado disse:

–  Não temos nada de natal, senhor, sinto muito.

Martim foi embora sem agradecer, saiu da loja e encontrou Ronald um velho amigo que há muito não via. Disse olá e á foi logo tentando esclarecer o que acontecia, afinal a loja de chocolates não tinha produtos às vésperas do natal? Isso era estranho demais. Então antes de perguntar com andava o amigo, indagou:

–  Sabe onde posso comprar chocolates com motivos natalinos, essa loja aqui não tem mais nenhum!

Ronald soltou uma risada espontânea e após enxugar os olhos com lágrimas das risadas disse ao amigo.

–  Motivos natalinos? Ainda faltam mais de seis meses para o natal!

Martim não conseguiu responder, só conseguia encarar Ronald com pensamento perdido como se tivesse caído num abismo e perdido a capacidade de processar seus pensamentos.

Aos poucos foi recuperando as faculdades mentais. Ainda continuava encarando Ronald e foi então que percebeu que ele estava notoriamente mais novo do que quando o vira pela última vez. Pedindo desculpas ao amigo, mas sem explicar nada, foi embora em direção ao carro.

Entrou no carro ofegante e decidiu qe voltaria para casa. Estava ofegante, preocupado, achava que estava ficando doido. As informações não faziam sentido em sua cabeça. Ronald havia dito que faltavam ainda mais de seis meses para o natal? Como assim! Tinha ido dormir no dia 23 de dezembro. Como poderia ter dormido tanto? Começou a se perguntar em que ano estava? Será que dormira por 6 meses? O que poderia estar acontecendo com ele?

Chegou em casa e foi logo ligando se computador. Entrou na internet e viu que era dia 13 de junho de 2010! Repetiu para si mesmo várias vezes a frase:

–  Treze de junho de 2010! Treze de junho de 2010! Treze de junho de 2010!

Após repetir inúmeras vezes desmaiou!

Acordou novamente sem noção do tempo, mas estava calmo agora. Pensou que tudo não havia passado de um sonho, levantou-se e voltou ao computador. O computador estava ligado. Ao abrir a tela que havia entrado em modo de economia de energia, viu o mesmo site e lembrou-se de estar procurando pela data de hoje. Mas para ele hoje era exatamente muito antes do que imaginava. Foi então que Matim constatou que havia voltado no tempo.

Anúncios

2 comentários

  1. Ai era tão bom voltar atrás no tempo! tentava certamente melhorar muitas coisas. Mas como não sabemos o futuro, temos que caminhar na direção que nós achamos ser a melhor. e não te esqueças que nunca é tarde demais para tentar melhorar algo. abraço

    1. Olá Sergio,

      Que prazer encontrar você aqui, obrigado pelo seu comentário. Seria mesmo muito bom poder voltar no tempo, mas o que podemos frases já isso não é possível é tentar sempre hoje seja melhor que ontem e que amanhã seja ainda melhor que hoje!

Participe! Entre na conversa! Comente aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s