Ouvindo

Leonard Bernstein: Gênio!

leonard-bernstein-frases-o-tenso

No próximo domingo dia 25 de agosto de 2013, um dos maiores maestros de todos os tempos completaria 95 anos. Estou falando de Leonard Bernstein, um maestro primoroso, compositor ousado e um primor ao piano.

Infelizmente acordei tarde para toda a genialidade de Leonard Bernstein, mas para minha sorte comecei com o pé direito. Assistindo a uma palestra no TED sobre como liderar como maestros, tive a surpresa ao ver Bernstein em um momento antológico, desses que entram para história.

Foi ali naquele momento que fui levado de uma só vez a todo talento, daquele que hoje tenho como um dos maiores expoentes da música. Imaginem que Leonard Bernstein apresentou-se de braços cruzados, regendo a orquestra apenas com expressões de sua face e pequenos movimentos com a cabeça. Como não quero matar nenhum de vocês de curiosidade, abaixo deixo Bernstein na expressão e auge de toda sua sensibilidade e talento. A execução é da Sinfonia no. 88, 4º movimento de Haydn. Liguem o som, peça silencio e aproveitem.

Genial, não é mesmo?

Vou terminando aqui, mas não antes de deixar também o link para a palestra que mencionei no TED. Uma apresentação imperdível para quem gosta de música clássica e também para todos aqueles que gostem de um bom conteúdo inovador, inusitado e muito, mas muito interessante.

Anúncios

Acordando com Tchaikovsky

Não me peçam para explicar, mas hoje acordei com uma vontade danada de escutar Tchaikovsky. Sim isso mesmo, por mais estranho que possa parecer e mesmo sem ter a menor ideia da origem desse meu desejo, fui com toda minha ansiedade levantando cedo da cama, ligando o computador e executando O Lago dos Cisnes.

Não satisfeito com a música, fui obviamente para internet as pressas localizar apresentações dessa peça de balé dramático para assistir. Sem prejuízo e longe de negligenciar a excelente produção do recente Cisne Negro, filme do Diretor Darren Aronofsky que nos brindou com a irretocável atuação da atriz Natalie Portman, encontrei algumas produções curiosas.

A primeira delas que reproduzo abaixo vem da China, país que tem surpreendido com a qualidade de seus bailarinos e produções. Para os mais conservadores, vou avisando de antemão que a produção é um tando quando pirotécnica e circense, porém o lirismo da bailarina que encena o cisne branco emociona e merce destaque o close dado na bailarina ao final de uma sequência de retorcer os nervos em que ela desenvolve toda coreografia suspensa, enfim nada de spoilers! Assistam o vídeo abaixo e tirem suas próprias conclusões.

Mestres da Música: Heitor Villa Lobos 125 anos

A correria tensa do dia a dia não permitiu que publicasse post sobre o compositor erudito Heitor Villa Lobos que nessa semana (dia 05/03/2012) completaria 125 anos, na exata data de seu aniversário, que fora comemorado ontem.

Porém, a importância de Villa Lobos para a música brasileira, inquestionável e inestimável não poderia ficar de fora do blog, ainda mais nesse mês de março movimentado com tanto a comemorar no campo das músicas eruditas. Já citamos em post anterior sobre o aniversário do grande Rossini e hoje vamos ao Mestre Villa lobos.

Não poderia iniciar o post sobre Villa lobos sem falar da Semana de arte Moderna de 1922. Villa lobos participou da Semana de Arte Moderna de 1922 com três diferentes espetáculos apresentando-se durante três dias.

Tenho post específico sobre Semana de Arte Moderna que pode ser visto aqui.

Em seu vasto repertório Villa Lobos tornou-se conhecido principalmente por sua obra Bachianas Brasileiras (1930-1945), onde já se destacava por suas combinações inovadoras e também pela ousadia. Foi nessa época que o compositor já inovara com adoção de seu estilo próprio, espécie de neobarroco onde introduziu sem reservas, instrumentos musicais tipicamente brasileiros. A inovação e a constante inquietude de suas composições, onde fazia combinações pouco convencionais e uso de temas e folclores tipicamente brasileiros fez com que o compositor não fosse enquadrado nem defendesse nenhum movimento em especial.

Filho de um funcionário da Biblioteca Nacional e músico amador, Villa Lobos conquistou sem dúvidas lugar entre os grandes compositores eruditos de todos os tempos e claro aqui no Tenso terá sempre o palco aberto e grande número de composições na play list.

Deixo abaixo alguns vídeos para que todos possam desfrutar de toda plástica em torno desse Mestre da Música Brasileira!

Não poderia deixar de referenciar aos mais entusiastas da música erudita que Villa Lobos foi também tema de filme brasileiro filmado em 1997 pelo diretor Zélito Viana, tendo o ator Antônio Fagundes como Villa Lobos. Interessados por mais informações sobre o filme podem encontrar no site: http://www.mapafilmes.com.br/villa/index.htm . Por fim deixo abaixo o trailer do filme que desde já recomendo! Até a próxima!

Opa, quase me esqueci que o Google também prestou sua homenagem ao Mestre Villa Lobos colocando em sua página inicial um Doodle que reproduzo abaixo. É isso!

Quem foi Gioachino Rossini?

Quem acompanha o blog já há mais tempo sabe de minha relação quase simbiótica com a música clássica e erudita. Pois bem que o dia de hoje merecidamente e com gratidão nas palavras venho prestar aqui não uma homenagem, mas sim uma grande reverência a um dos compositores eruditos que mais admiro: Gioachino Antonio Rossini.

Filho de simpatizantes e entusiastas da Revolução Francesa, Rossini nasceu na Itália em 29 de fevereiro de 1792 e como os mais atentos podem perceber completaria hoje seus 220 anos. Velho? Nada disso as composições de Rossini atravessaram os tempos e marcaram épocas em todo tipo de gênero e entreterimento.

Abaixo exemplo de episódio em que Pernalonga representa adaptação de uma das peças mais famosas de Rossini: Il barbiere di Siviglia (“O Barbeiro de Sevilha”).

Não foi apenas Pernalonga que se interessou pela obra de Rossini. Abaixo outra adaptação do barbeiro de Sevilha agora encenada pelo Pica Pau.

Como não poderia deixar de ser, para aqueles que tiveram a curiosidade de clicar, o Google homenageou hoje Rossi com Doodle como todos podem ver na figura abaixo, uma homenagem de uma das maiores “personalidades”da internet, senão a maior a uma das maiores personalidades da música, sem dúvida.

Não poderia encerrar sem deixar um pouco de Rossini agora com sua obra original. Enjoy!!!

Clássicas relações

Muitas são as sensações que não consigo explicar, mas ao pensar sobre muitas delas, nenhuma me intriga tanto como àquela que sinto ao escutar música clássica. Fui seduzido pelas melodias eruditas desde muito novo e até certo ponto sem nenhum fator muito claro que pudesse explicar minha preferência pelo gênero. Claro que não penso ser nada complicado nem muito nobre gostar de música clássica, dada a pureza e beleza da qual as melodias são feitas.

Pensando em música como um universo poderia facilmente comparar as composições clássicas aos anjos ou santidades das mais altas escalas que ocupariam senão o posto mais alto na hierarquia do universo musical, algo de muito perto à perfeição. Certamente compositores ligados ás composições clássicas foram muito abençoados e me arrisco a dizer que sinto como se eles tivessem tocados por Deus no momento exato da concepção de suas obras musicais.

Não pensem que sou daqueles radicais que escutam apenas um tipo específico de música ou gênero musical. Aqueles que me conhecem sabem muito bem que transito nos mais variados estilos e intérpretes.

Nos últimos dois anos tive a felicidade de poder assistir a dois espetáculos da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), oportunidade que agradeço com frequência. Assistir a um espetáculo de música clássica é estar mais próximo de Deus, é sentir, mesmo que por um curto espaço de tempo, a presença de algo superior a nós mortais.

Hoje ao assistir a um filme no cinema me surpreendi ao escutar bem no fundo de uma cena sem importância para a trama, a música Nessun Dorma. De imediato me desligara do filme, não via, não ouvia as falas dos atores e nem muito menos lia as legendas. Eu havia sido hipnotizado pela música que por um instante de tempo, que não saberia quantificar, me levara para fora das paredes do cinema e para fora de mim.

Tal como alguém que assiste a um filme com drama muito intenso me vi emocionado. Lágrimas corriam em meu rosto. Sentia um aperto no coração muito forte, cenas vinham a minha cabeça, via pessoas queridas, todas muito felizes. Sentia uma sensação extraordinária, algo que certamente não é explicável pelos conhecimentos e teorias deste mundo.

Se é verdade que a música possui efeitos sobre nós, meros mortais, não duvido que a música erudita e clássica nos remetem algo mais que simplesmente ao ato de escutar boa música. Arrisco-me a dizer que a música clássica nos torna mais próximos a Deus e nos rotula não apenas como meros e simples corpos físicos.

Não é crítica nem análise de obra musical

Noite de chuva, eu a sós, pensamentos ao vento e imaginação a mil por segundo. A noite parecia e teria tudo para ser entediante, mas não foi. Sentado no computador, ser digital e socialmente integrado a um monte de sites de relacionamentos esta eu estudando, produzindo ideias, trabalhando no futuro e pensando sobre tudo.

Dentre os infinitos downloads e sites uma certeza pairava sobre mim, ainda não achara uma trilha sonora para o momento que me inspirasse a escrever, sobre o que? Sobre qualquer coisa, sobre tudo, sobre nada, seja o que for na importava, precisava apenas de boa música adequada ao momento para que pudesse acalmar os neurônios e relaxar escrevendo um pouco.

Música aqui e ali e muita música boa tocava, mas nada adequado ao momento, nada que combinasse comigo, nada. É assim mesmo e se é difícil encontrar boa música hoje em dia, imagina o quão impossível possa parecer encontrar a música certa ao estado de espírito ou ainda à necessidade  de inspiração?

Sorte? Acaso? Destino? Chame do que quiser, o fato é que num rompante selecionei a música certa. A mente se abriu as ideias se alinharam novamente, o espírito foi se acalmando aos poucos e com ele a paciência para transcrever rápidos pensamentos em lenta escrita. A responsável pelo alento dessa noite foi a cantora Norah Jones. O CD? The fall lançado em 2009.

Interpretação sublime como sempre a cantora parece ter amadurecido ainda mais. Dizem por ai, ou melhor, dizem pela internet que amadurecimento decorre da idade e da experiência, mas sendo bem sincero esse tipo de fato pouco me importa no momento.

Em suma, o fato é que Norah Jones e seu CD The Fall, preencheram hoje muito bem o espaço e a necessidade de música. O resultado como todos podem perceber foram alguns posts, muita calma e a sensação de renovação para o dia seguinte. É isso!