Sobre Livros

Acordando no passado

the-past-otenso

Naquele dia acordou tarde, não porque podia, mas havia sem querer perdido a hora. Num súbito olhou para o relógio, viu as horas e saltou apressado da cama. Foi até o banheiro escovou os dentes e sentiu sua boca com gosto amargo de uma noite de sono mal dormida. Lavou o rosto e ao se olhar no espelho sentiu o peso de seus 38 anos, pouca idade para alguns, mas não para ele.

Foi lembrando devagar tudo que tinha que fazer, afinal era véspera de natal e não podia esquecer de nada. Foi então que após se vestir para sair às compras, decidiu fazer uma lista de tudo que tinha a fazer naquela manhã que na verdade á estava bem próxima do fim. Ao terminar a lista sentiu um frio na barriga e pensou que não daria tempo para resolver tudo a tempo para o natal.

(mais…)

Anúncios

Semana de Arte Moderna – 90 anos

Cartaz Semana de Arte Moderna 1922

 

Nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro do ano de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo, há quase exatos 90 anos acontecia uma das mais expressivas, senão a mais expressiva, renovação da cultura brasileira. O movimento chamado de Semana de Arte Moderna promoveu por meio de experimentações diversas uma ruptura com o passado cultural brasileiro lançando para nossa sorte, aqueles que transformariam o caminho pelo qual vinham sendo conduzidas as artes brasileiras.

O movimento contou com nomes sagrados da cultura brasileira à época até os dias de hoje como: Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos, Tarsila do Amaral, Tácito de Almeida, Di Cavalcanti dentre muitos outros. E foi assim que escritores, poetas, pintores, maestros e músicos entraram em definitivo para a história da cultura e das artes brasileiras e do mundo.

Mário de Andrade (primeiro à esquerda, no alto), Rubens Borba de Moraes (sentado, segundo da esquerda para a direita) e outros modernistas em 1922, dentre os quais (não identificados) Tácito, Baby,Mário de Almeida e Guilherme de Almeida e Yan de Almeida Prado

 

Hoje este escritor desregrado e certamente um dos escritores menos lidos de que se tem notícia, para em plena madrugada para relembrar este que foi um dos mais importantes e inspiradores movimentos de renovação cultural de que se tem notícia por aqui. Como complemento e também na tentativa de amenizar as palavras ainda muito aquém de nomes como aqueles citados acima, reproduzo dois vídeos veiculados pelo site do Jornal O Estado de São Paulo com declamações dos poemas:  “Paisagem nº1” e “Inspiração” de Mário de Andrade realizadas pela Professora Telê Ancona. Abaixo seguem os vídeos.

Vook?

O mercado editorial não vem deixando por menos e em plena era da tecnologia, do visual e claro da internet, vem nos surpreendendo a cada dia. Mais ou menos a três semanas atrás publiquei aqui no blog um post sobre trailer de livros, uma maneira atraente e atual de atrair público leitor. O dinamismo que o setor editorial vem consolidando nos últimos anos chega a surpreender até aos mais recatados e conservadores leitores.

Tudo indica que a velocidade com que novas formas e formatos editoriais serão cada mais responsáveis por cativar novos leitores, por estar alinhada com o contexto em que estes novos amantes da literatura se inserem.

Penso que o livro vem experimentando um nível de interatividade e contemporaneidade como nunca poderíamos sequer imaginar. Um exemplo interessante reside no conceito denominado VOOK. Nascido da junção das palavras Vídeo + Book o VOOK vem prometendo revolucionar a forma como nos relacionamentos e devoramos nossos livros.

Interatividade, movimento e ação são apenas alguns dos pilares do VOOK que abre caminhos para se consolidar como ferramenta importante de sedução aos novos leitores, jovens e inseridos a cada dia mais cedo no mundo colaborativo da web.

Separei dois vídeos interessantes sobre VOOK que acredito serem bons exemplos para ilustrar mais essa inovação do mercado editorial e que em breve certamente estará em nossos smartphones, tablets, TV`s, dentre muitos outros eletrônicos que estão por ai. Aproveitem os vídeos.

Para Ler: Lançado no Brasil Biografia de Virginia Woolf

Não poderia haver momento mais oportuno para a chegada ao Brasil da Biografia da autora Virginia Woolf do que as festas de fim ano. Propositalmente ou não o livro de Herbert Marder sem dúvidas deverá ser um dos presentes favoritos daqueles não largam um bom livro e principalmente dos que admiram Virginia Woolf como escritora.

Comecei a ler a obra de Virginia Woolf por pura curiosidade. Como economista durante os tempos de estudante, estudei e li muito, como todo aluno de economia, sobre Maynard Keynes, também inglês e um dos principais pensadores de todos os tempos no campo das ciências econômicas. Não me lembro onde me deparei com a referência à obra de Virginia Woolf, mas em alguma de minhas leituras da época li que Virginia Woolf formara em sua casa um grupo de discussão entre amigos chamado de Círculo de Bloomsbury do qual participaram o poeta T. S. Eliot, o crítico de arte Roger Fry e o economista John Maynard Keynes.

Logo após terminar todo o período das provas em que ficava concentrado restritamente à leitura de autores da área econômica, fui em busca dos títulos da escritora Virginia Woolf. Li primeiramente As ondas (1931) e daí por diante fui lendo mais algumas obras e experimentando todo vigor dos escritos da autora.

Abaixo segue a referência da biografia de Virginia Woolf que apesar de ainda não tido a oportunidade de ler, tenho certeza de que será um excelente presente. De minha parte já preparei para coloca-lo como lista de desejos em algum amigo oculto por ai, quem sabe não dou sorte e se tiver me comportado algum papai noel me presenteia com ele no natal? Abaixo os dados da publicação:

Título: Virginia Woolf: A Medida da Vida

Autor: Herbert Marder

Tradução: Leonardo Fróes

Texto de orelha: Maria Rita Kehl

Idioma: Português

Editora: Cosac Naify.

Recomendo o link com infográfico sobre a trajetória de Virginia Woolf feito pelo jornal Estadão que pode ser acesso pelo link:

http://www.estadao.com.br/especiais/a-trajetoria-de-virginia-woolf,133871.htm

Para aqueles insaciáveis, abaixo seguem os livros da autora:

Livros

A viagem (The Voyage Out) (1915)

Noite e dia (Night and Day) (1919)

O quarto de Jacó (Jacob’s Room) (1922)

Mrs. Dalloway (1925)

O Leitor Comum (The Common Reader) (1925 – Primeiro volume)

Rumo ao farol (To the Lighthouse) (1927)

Orlando – Uma biografia (Orlando: A Biography) (1928)

Um Teto Todo Seu (A Room of One’s Own) (1929)

As ondas (The Waves) (1931)

O Leitor Comum (The Common Reader) (1932 – Segundo volume)

Flush (Flush: A Biography) (1933)

Os anos (The Years) (1937)

Roger Fry (1940)

Entre os atos (Between the Acts) (1941)

Contos Completos (1917-1941)

Trailer de que?

Já faz algum tempo venho pesquisando e tomando contato com novas formas de me relacionar com a literatura. Essa busca de início mera curiosidade foi evoluindo chegando hoje a ser necessidade constantemente presente em meus dias. A paixão por livros e literatura me fez enveredar por caminhos nada convencionais e não raro às vezes acho que me transformei em uma pessoa excêntrica demais ou quem sabe até meio doido mesmo.

O fato é que minha vontade de promover a literatura e sua magia tem dado alguns bons frutos. Um dos principais deles foi a descoberta de que é possível com alguma criatividade tornar a leitura algo tão atraente como qualquer outro meio de difusão cultural. Aqui no blog vou passar a postar mais sobre essas experiências e descobertas de soluções que podem ajudar a disseminar o interesse e a regularidade da leitura nas pessoas, principalmente nos jovens.

A descoberta que relato aqui hoje é na minha opinião uma adaptação das mais criativas. Algumas editoras tem se esforçado na criação de trailers de livros que são lançados. A função do trailer é divulgar o lançamento do livro de maneira mais interessante, utilizando para isso mídias com alcance de massa maior do que as resenhas publicadas em jornais, revistas ou mesmo os sites, ainda muito estáticos (WEB 1.0?) das editoras.

Com o vídeo (trailer) cria-se um ambiente amistoso àqueles ainda iniciantes na leitura e facilita a disseminação da divulgação em redes sociais como Twitter, facebook ou sites de vídeo como VIMEO ou YouTube. Estando presente em redes sociais com linguagem moderna e vídeos bem dirigidos, as editoras atngem um público até então alheio aos lançamentos, dado o contato ainda muito tímido e em alguns casos até inexistente com resenhas e outras formas convencionais de divulgação de lançamentos editoriais.

Pode parecer ambíguo divulgar lançamento de livros em trailers como filmes de cinema e alguns mais céticos podem até mesmo duvidar de sua efetividade como meio de propagação de lançamentos, mas nesse ponto peço desculpas aos céticos de plantão, pois na minha opinião essa ideia ainda vai descobrir muito leitor preso em seus armários virtuais na web como Twitter, Facebook, Blogs ou YouTube. A meu ver redes sociais, filmes, blogs e web nada mais são que meios de comunicação onde a leitura está e sempre estará presente, seja em apenas 140 caracteres ou em grandes vídeos com legendas e outros tantos mais. Abaixo dois exemplos de trailers de livros. O primeiro compartilhado pelo usuário do YouTube de nome FelipeCaspian que ao que tudo indica foi fruto de produção independente e de muita qualidade a meu ver. O Segundo mostra vídeo da editora companhia das letras muito bem produzido. Aproveitem!!!